Header Ads

Anuncie aqui, Aqui todo mundo ver!

Servidores saem insatisfeitos de reunião com secretária sobre parcelamento de salário.


 A secretária da Fazenda, Ana Carla Abrão Costa não conseguiu conter a insatisfação dos servidores públicos quanto ao parcelamento do salário. A alegação dada por ela durante reunião realizada nesta terça-feira (5), com representantes da coordenação do Fórum dos Serviços e Servidores Públicos, foi de que pelo menos até o fim do ano, o Estado deverá continuar parcelando o pagamento do salário dos servidores.



Durante a reunião, a secretária da Fazenda tentou mostrar aos servidores públicos os motivos do parcelamento anunciado no último dia 28. Um dos motivos é a queda de receita nos últimos meses.
“Foi uma conversa muito franca em que foi colocada a realidade financeira, a dificuldade que o tesouro tem hoje de pagar dentro do mês trabalho. O parcelamento vai vigorar durante todo o ano. Nesse momento não posso dar uma notícia que fosse positiva e depois recuar”, argumenta a secretária.

Plano para aumentar receitas

Ana Carla explicou que hoje há um plano de governo que poderá ficar pronto até o fim da semana que visa aumentar as receitas ao longo do ano. Cada secretaria terá a responsabilidade nas suas áreas específicas de tentar fazer crescer a receita.

Insatisfação

Os servidores saíram da reunião com a secretária sem a resposta que gostariam de ouvir.
“É uma decisão arbitrária do Estado que tem prejudicado as finanças do servidor público. O prejuízo é grande para o funcionário que tem seu pagamento parcelado. Há anos o pagamento é feito no último dia útil do mês, então os servidores estão acostumados com isso”, argumenta o presidente do Sindi público, Thiago Vilar.
O presidente da União Goiana dos Policiais Civis (Ugopoci), Ademar Luiz de Oliveira, afirma que situações como o parcelamento deixam os servidores desmotivados, pois coloca em descrédito acordos firmados durante greves passadas.
Para a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Goiás (Sintego), Bia de Lima, o governo do Estado não poderia parcelar o pagamento dos servidores da área de ensino. Ela argumenta que o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) possui recursos suficientes para manter a folha com o pagamento.

Paralisação

Na próxima quinta-feira (7), haverá nova reunião do Fórum dos Servidores Públicos. De acordo com os representantes dos sindicatos não está descartada uma paralisação geral. Cada categoria em assembleia tomará decisão. 

Descontos e Data Base

Quanto aos descontos realizados na primeira parcela do salário dos servidores, a secretária Ana Carla Abrão Costa informou que é de responsabilidade da Secretaria de Gestão e Planejamento, mas se comprometeu a discutir o assunto com a área.
Os descontos são relativos ao  abatimento de impostos, previdência, empréstimos consignados e Ipasgo. 
Quanto a Data Base Ana Carla apenas informou que é uma política que ficará a cargo de cada secretaria, levando em consideração a atual situação financeira do Estado, o que tudo indica que não será aplicada neste mês de maio, conforme previsto em lei.
Fonte: Diário de Goiás


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.